Sunday, November 19, 2006

Apocalíptico contemporâneo

Que ser estranho é este? Meio homem, meio larva. Morador de buraco. Uma espécie de cupim que come sua própria casa. Por dentro ruína a ponto de desabar, por fora a fachada intacta. Um ser mutante com uma máscara de metal num corpo de cerâmica.






Apocalíptico contemporâneo
perdido no espaço
num barco à vela
à procura de vento
num lugar onde não venta mais.

5 Comments:

Anonymous lilian said...

que estranha combinação
gostaria de tocar a peça
sentir o gelo do bronze atravessado pelo barro seco e queimado

10:07 PM  
Anonymous Paulinho said...

Muito bacana as esculturas, e os textos também, são de altíssimo nível. Poesia pura.

9:30 AM  
Anonymous Luciana Bauer (comadre) said...

Estou louca pra visitar, pena que ainda não pude.

Lindas palavras de apresentação. São tuas? abraço, Luciana.

6:55 AM  
Blogger Gil Maulin said...

meu caro,
não sei se te digo parabéns, pois para a tua expressão isso me parece muito custoso... acho que não é por aí o que parece dizer... não é isso que buscas... posso te dizer que vá adiante!

1:44 PM  
Anonymous Anonymous said...

ruc ruc ruc ruc, que prazer estar aqui plasticamente para te ver,
beijos,
tiago

4:13 PM  

Post a Comment

<< Home